sábado, 23 de março de 2019

Em cidades pernambucanas, Fernando Monteiro reforça seu compromisso com o trabalhador rural



Depois de uma semana com prefeitos pernambucanos em Brasília, o deputado federal Fernando Monteiro (PP) segue, neste fim de semana, por cidades do interior do Estado, observando de perto as demandas necessárias para a busca por recursos em Brasília.

A agenda local começou nesta sexta-feira (22), no município de João Alfredo, no Agreste, onde o parlamentar reforçou a lideranças locais o compromisso de não apoiar a reforma da Previdência enquanto ela prejudicar o trabalhador rural. “Tive a oportunidade de ouvir os anseios dos trabalhadores no momento em que vivem a angústia da possibilidade de terem seus direitos comprometidos. O homem do campo trabalha no sol a pino, depende da chuva, está vulnerável à quebra da safra e, consequentemente, à queda do preço de sua produção, não posso apoiar nada que dificulte o acesso ao benefício por eles”, atestou o deputado federal.

Durante a semana, na Capital Federal, Fernando Monteiro conversou com o 
prefeito de Bom Conselho, Dannilo Godoy, em audiência com o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Newton Araújo Silva Júnior. O município pernambucano vai voltar a ter o Balcão do Milho, programa de abastecimento social de apoio e estímulo à pequena produção rural.

Com o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, o deputado falou sobre as possibilidades de incentivo ao turismo em Pernambuco. Entre os pleitos, a necessidade de pavimentação da estrada para a Praia do Sossego, em Itamaracá, um compromisso do deputado com os ilhéus.

Na Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Fernando Monteiro esteve com o novo presidente do órgão, Ronaldo Nogueira, e o prefeito de Lajedo, Rossine Blesmany, conversando sobre as demandas do município do Agreste de Pernambuco. “Foi uma semana intensa e de muitos avanços, como tem que ser. Acompanhar de perto e intermediar as conversas necessárias são obrigação minha, não me vanglorio disso, é meu trabalho”, atesta Fernando Monteiro.

Neste fim de semana, Pedra, Sanharó, Gravatá, Lajedo e Buíque, no Agreste pernambucano, estão no roteiro das cidades a serem visitadas pelo deputado federal.





Prefeitura de Santa Filomena divulga programação artística da Caprinofiló 2019 (26 a 28 de Abril)


Lama de Brumadinho chega ao Rio São Francisco




No Dia Mundial da Água, relatório divulgado nesta sexta-feira pela Fundação SOS Mata Atlântica traz monitoramento das águas brasileiras e alerta para a premonição tão indesejada: os rejeitos da barragem Córrego do Feijão, da empresa Vale, que se rompeu em 25 de janeiro, no município de Brumadinho (MG), já atingiram o Rio São Francisco.
Dos 12 pontos analisados no São Francisco, nove estavam com condição ruim e três, em condições regular, o que torna o trecho a partir do Reservatório de Retiro Baixo – entre os municípios de Felixlândia e Pompéu, em Minas Gerais – até o Reservatório de Três Marias, no Alto São Francisco, também em Minas Gerais, com água imprópria para usos da população.
Nesses pontos de coleta, a turbidez – transparência da água – estava acima dos limites legais definidos pela Resolução 357 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), para qualidade da água doce superficial. Em alguns locais, esse indicador chegou a alcançar duas a seis vezes mais que o permitido pela resolução.
Segundo a entidade, as concentrações de ferro, manganês, cromo e cobre também estavam acima dos limites máximos permitidos pela legislação, o que evidencia o impacto da pluma de rejeitos de minério sobre o Alto São Francisco.
“Os dados comprovam que o Reservatório de Retiro Baixo está segurando o maior volume dos rejeitos de minério que vem sendo carreados pelo Paraopeba. Apesar das medidas tomadas no sentido de evitar que os rejeitos atinjam o rio São Francisco, os contaminantes mais finos estão ultrapassando o reservatório e descendo o rio e já são percebidos nas análises em padrões elevados”, divulgou a SOS Mata Atlântica. (FolhaPE)

No Dia Mundial da Água, Gonzaga Patriota destaca importância da interligação dos rios Tocantins e São Francisco




No Dia Mundial da Água, comemorado nesta sexta-feira (22), o deputado federal Gonzaga Patriota (PSB) destaca a importância do Projeto de Lei (PL nº 6.569/2013), de sua autoria, que propõe a Interligação dos rios Tocantins e São Francisco.
Segundo Gonzaga, a interligação visa compensar o suprimento hídrico do São Francisco; melhorar o volume de água no Lago do Sobradinho; aumentar a disponibilidade aquática no semiárido; gerar energia a partir da queda d’água na divisa de Tocantins com a Bahia e possibilitar a instalação de novos polos de fruticultura irrigada. A obra proposta por Gonzaga Patriota é necessária, inclusive, para garantir o sucesso da Transposição – que hoje leva as águas do Velho Chico para diversos estados nordestinos.
Ainda segundo o socialista, a situação do rio São Francisco, em nossos dias, é catastrófica. À patente redução das águas em toda a Bacia e à sucessão de secas nos últimos anos, mas a devastação do curso do rio que ocorre há tempos tem prejudicada cada vez mais o rio.
O deputado pernambucano lembra que foi autor do livro intitulado O rio São Francisco está morrendo, obra em que conclamou toda a sociedade brasileira a empreender esforço conjunto no sentido de salvar o Rio da Integração Nacional.
Para o deputado, a integração entre os rios São Francisco e Tocantins não pode mais esperar.
“Lamentavelmente, há hoje trechos do Velho Chico que podem ser atravessados a pé. Faz-se urgente, pois, que as bacias nordestinas sejam abastecidas com água em abundância, e não há que esperar apenas pelas chuvas, nada amigáveis nos últimos tempos. Nesse contexto, a integração entre os rios São Francisco e Tocantins não se pode mais fazer esperar”, falou.(Edenevaldo Alves)




Usina Solar Fotovoltaica instalada no Lago de Sobradinho reforça necessidade de pesquisa sobre energia limpa




Começando o ano com uma realidade bem diferente da de 2018, o reservatório de Sobradinho, no Norte da Bahia, deixa a região em uma situação mais confortável. Hoje, o nível é de 40% de sua capacidade total de armazenamento, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Essa mudança no cenário não é a única novidade que é possível notar em um dos maiores lagos artificiais do mundo: é na sua superfície que está instalada a Planta Solar Fotovoltaica criada a partir do Projeto de Pesquisa & Desenvolvimento para implantação do Centro de Referência em Energia Solar de Petrolina (Cresp).
A usina flutuante consiste na implantação de diversos sistemas e componentes que além de subsidiar pesquisas do potencial energético da região visa também agregar energia às atuais fontes de geração. O projeto, no âmbito do P&D+I (Pesquisa e Desenvolvimento mais Inovação), objetiva resultados mediante estudos técnicos, simulações e análises operacionais. Segundo o diretor de Operação da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), João Henrique de Araújo Franklin Neto, no projeto para o Lago de Sobradinho estão previstas uma planta de 1MWp (Megawatt-pico) e, na sequência, uma planta de 4MWp, com investimento total da ordem de R$ 56 milhões. O recurso é oriundo da carteira Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de P&D+I da Chesf, empresa responsável pela instalação, fiscalização e operação.
Na fase de medições, etapas de 1MWp e 4MWp, estão contemplados os campos de avaliação respectivos ao Meio Ambiente; Irradiação Solar; Produção de Energia; Estudos Comparativos; Operação e Manutenção; Perdas Elétricas; entre outros. Na primeira etapa do projeto a capacidade de geração anual da usina flutuante 1MWp é da ordem de 1.752.000kWh (Quilowatt-hora), equivalente ao consumo anual de 1.460 residências, com consumo anual de energia de 1.200kWh. Já a usina flutuante de 4MWp tem a capacidade de geração de 7.008.000kWh (equivalente ao consumo de 5.840 residências, também com consumo anual de energia de 1.200kWh). Ao final do projeto a capacidade de geração anual pretendida é da ordem de 8.760.000kWh.
Sistema
O sistema tem as placas (painéis fotovoltaicos) instaladas sobre flutuadores semi-submersos e é composto por ancoragem, por meio de portas de concreto, cabos e boias, flutuadores primários (para fixação dos painéis fotovoltaicos), flutuadores secundários (para circulação), caixas de conexão, cabos de força e controle, eletrocentro, rede de média tensão e interligação. Ainda de acordo com o diretor de Operações, a escolha da região do Lago de Sobradinho para sediar o projeto considerou as condições climáticas. “A escolha se deu após análises das condições de instalação da usina flutuante, dados meteorológicos, conexão, escoamento da energia gerada e proximidade com outros projetos e centro de pesquisa”, explicou.
Os resultados do projeto serão divulgados e têm a função de, entre outros aspectos, contribuir com estudos científicos e projetos em desenvolvimento para geração de energia por fonte solar. O estudo também irá avaliar os impactos ambientais desses equipamentos.
Assim como a bacia do São Francisco, estamos em uma região privilegiada por sua capacidade de geração de riquezas, seja pela sua produção, seja pelos nossos recursos. Recursos esses que devem ser protegidos, e esse é o papel do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), que vem acompanhando sempre de perto novas iniciativas que podem contribuir com a sua preservação, como o estudo que vem sendo desenvolvido através da geração de energia solar”, afirmou o coordenador da Câmara Consultiva Regional do Submédio São Francisco, Julianeli Lima. Com informações do CBHSF. (Carlos Britto)




sexta-feira, 15 de março de 2019

Fernando Bezerra e Jarbas Vasconcelos acertam ‘convivência pacífica’ pelo MDB, diz site




O primeiro encontro dos senadores Jarbas Vasconcelos e Fernando Bezerra Coelho para acertar uma “convivência pacífica” após a extensa briga pelo comando do MDB em Pernambuco só ocorreu esta semana.
Os dois foram à mesa, em Brasília, na última quarta-feira. Fernando pedira a audiência ainda no período de Carnaval. Ao sinal de positivo, dirigiu-se ao gabinete de Jarbas Vasconcelos na Casa Alta. Fez visita para propor uma convivência pacífica e civilizada no partido. A conversa foi cordial. Também estavam presentes Fernando Duere, suplente de Jarbas, e o presidente do partido em Pernambuco, deputado federal Raul Henry.
Jarbas e Henry chegaram a ser consultados se fariam objeção a Fernando assumir a liderança do governo Jair Bolsonaro no Senado. Na ocasião, foi o senador Marcelo Castro (MDB-PI) que fez as vezes de emissário do líder da bancada do MDB no Senado, Eduardo Braga. Marcelo passou pelo gabinete de Jarbas, no início de fevereiro. Henry também estava por lá. Jarbas e ele registraram não estar ali para vetar ninguém. O sinal verde foi um gesto.
O diálogo avançou, rendeu uma conversa tête-à-tête e, daqui para frente, a regra é uma “convivência civilizada”. Com 2020 no radar, a briga interna vai ficando para trás. (*Folha Política).




Após quase um mês internado, Gonzaga Patriota recebe alta hospitalar



Resultado de imagem para gonzaga patriota
O deputado federal Gonzaga Patriota (PSB-PE) recebeu alta médica, após quase um mês internação. Segundo a assessoria parlamentar, ele necessitará de alguns dias para recuperação e repouso, antes de retomar seus compromissos, de acordo com orientação médica.


Gonzaga Patriota chegou a ficar internado na UTI por apresentar um quadro viral, que gerou complicações no pulmão, fígado, trombose e hemorragia na região abdominal, além de diverticulite.

Agradeço,  primeiramente, a Deus pela força e proteção. Aos meus filhos, esposa e toda a família, pelo cuidado e zelo, e toda a equipe médica pelo profissionalismo e seriedade, bem como aos amigos e eleitores pelas orações e carinho. Estou ansioso para retomar minhas atividades, visitar Pernambuco e ajudar o país nessa nova fase“, disse o parlamentar. (Carlos Britto)