domingo, 17 de julho de 2016

Gonzaga levanta controvérsia sobre desunião no PSB de Petrolina: “Falta alguém olhar quem é socialista e quem não é”


gonzaga

Acostumado a gerar controvérsias em suas declarações, o deputado federal Gonzaga Patriota fez mais uma das suas. Perguntado sobre o motivo do seu partido, o PSB, não conseguir mostrar na prática ao eleitorado petrolinense o mesmo discurso que defende para retomar a prefeitura, ele não teve dúvidas. “Falta alguém olhar em Petrolina quem é socialista e quem não é”, afirmou, durante entrevista coletiva à imprensa local em seu escritório político, no Centro da cidade, na última sexta-feira (15).
Gonzaga garantiu, no entanto, que a mensagem não foi endereçada ao senador Fernando Bezerra Coelho. “Não estou dizendo que ele não é socialista, estou dizendo que eu sou”, desconversou.
Quando bateu chapa em 2008 dentro do PSB com o então prefeito Odacy Amorim, que reivindicava o direito à reeleição, Gonzaga lembrou que à época o seu partido poderia ter ganho a disputa com o então novato Julio Lossio (PMDB). Isso só não aconteceu, segundo ele, porque “muitos que estavam no PSB” preferiram votar em Lossio. “Criaram uma cobrinha para mordê-los”, ironizou.
Gonzaga voltou a mencionar, mesmo que indiretamente, o senador socialista, ao lembrar quem em 1998 – quando Miguel Arraes perdeu a reeleição ao governo do estado para Jarbas Vasconcelos (PMDB) por um milhão de votos de frente – ele foi o único que ficou ao lado do líder socialista. FBC era o candidato a vice de Arraes e, pouco tempo depois daquela eleição, migrou para o PPS. O deputado também frisou ter colocado à disposição do seu partido, por mais de 20 anos, o espaço onde hoje funciona seu escritório, e durante todo esse tempo viu o PSB progredir politicamente, deixando claro que sempre foi “um aliado de primeira hora” dos socialistas.
Respeito
Até por essa razão, mas por destacar também os princípios democráticos da legenda, Gonzaga disse acreditar que não sofrerá represálias por seguir um caminho diferente nas eleições deste ano, e não somente em Petrolina. Ele lembrou que em cidades como Salgueiro, Dormentes, Lagoa Grande e Santa Maria, por exemplo, ele e o deputado estadual Lucas Ramos – outro dissidente em Petrolina – não acompanharão o partido. “Alguns (dos pré-candidatos a prefeito) vão ganhar, outros não. Mas todos estarão com Paulo Câmara em 2017 e nas eleições de 2018”, ponderou.
Gonzaga fez questão de deixar claro, no entanto, que sempre manteve uma relação de respeito e entendimento com Fernando Bezerra e que as diferenças são apenas no campo das ideias. Mesmo afirmando não ter sido consultado pelo senador quanto ao processo eleitoral que definiu o nome de Miguel Coelho (um dos filhos de FBC) para disputar a prefeitura pelo partido, o deputado assegurou que mantém a sintonia em prol dos interesses de Petrolina e da região. Foi o caso, agora, da indicação da presidência da Codevasf, que está com o PSB, e da 3ª Superintendência Regional da Companhia, cuja indicação foi do senador, mas contou com o respaldo de Gonzaga.
O deputado garantiu também que, em caso de vitória de Miguel nas eleições 2016, vai ajudá-lo a administrar a Prefeitura de Petrolina, através de suas emendas, como fez durante os oito anos de Lossio (seu adversário político).

Carlos Britto

0 comentários:

Postar um comentário