domingo, 31 de julho de 2016

Odacy diz que sepultou o PP e agradece apoio de Fernando Monteiro que não teme sanção



Com quatro partidos na sua base, o candidato a prefeito de Petrolina, Odacy Amorim (PT) põe fim a celeuma com o PP. Em entrevista à imprensa, durante convenção na noite da última quinta-feira (28), o petista disse que sepultou a história com o PP, partido que aderiu a campanha do também prefeiturável Adalberto Cavalcanti (PTB). Recentemente, o próprio Odacy havia declarado que o partido seria cooptado por R$ 600mil, mas ele não quis mais tocar no assunto.
“Essa questão do PP, graças a Deus nós sepultamos, estamos no dia da missa do 7º dia. Amanhã (hoje 29), faz sete dias que sepultamos o PP da nossa mente. Dulcicléide (esposa) se desfiliou do partido e aí agora é aguardar que Petrolina faça o julgamento. Essa história de aliciar, de compra de partido saiu do próprio movimento de quem vai receber o partido, mas nós queremos discutir o futuro”, disse.
Odacy disse também, que os adversários insistem em divulgar informações inverídicas na tentativa de prejudicar suas eleições. “Essa é uma batalha que enfrento aqui em todas as eleições, desde a minha primeira eleição para deputado que meus adversários se incomodam, mas isso me alegra porque sei que existe essa preocupação por causa do vínculo que eu tenho com o povo de Petrolina”.
Na sua base, Coligação Petrolina do Povo e dos Sonhos de Isabel Cristina, Odacy e a candidata a vice na chapa Léia Araújo, conta com o PT, o PCdoB, o PMN e o PMB. Os candidatos contam com o apoio do deputado Fernando Monteiro que resolveu seguir sua escolha pessoal indo de encontro com a decisão do seu partido, o PP. “Faço política com modernidade, eu respeito a democracia, a democracia do mu partido, mas sou de uma geração que palavra ainda vale muito, assumir o compromisso com ele em março e o que vale é a palavra independente de partido. Acredito em projeto e nesse projeto eu embarquei junto com Odacy”.
Mesmo sujeito a alguma sanção do partido, Monteiro acredita que sua posição será respeitada pelos colegas de partido. “Meu partido é forte, é democrático e vai entender, desse medo eu não tenho porque todos sabem que palavra dada tem que ser cumprida”, disse.
Segundo ele, a decisão de retroceder o apoio uma vez envidado à Odacy, foi do presidente do diretório estadual. “Foi opção dele, mas a minha palavra eu mantive pelo povo de Petrolina”, argumentou. Sobre os boatos de cooptação do partido, Monteiro afirmou: “Não acho que o PP é um partido que se vende, foi uma escolha do presidente, ele tem suas razões e seus motivos, tenho orgulho de estar no PP, mas aqui em Petrolina estou com Odacy”.    


0 comentários:

Postar um comentário