segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Em Dormentes, Projeto de Lei oriundo do poder executivo causa polêmica na Casa Senador Nilo Coelho


Na última sexta feira (04), foi realizada na Casa Senador Nilo Coelho a sétima reunião do segundo semestre de 2016. Na oportunidade foi apresentado o Projeto de Lei 018/2016 em regime de urgência urgentíssima, encaminhado pelo poder executivo, datado de 01 de novembro de 2016 e protocolado na mesma data, solicitando abertura de crédito adicional suplementar no valor de R$ 1.131.512,00 (um milhão, cento e trinta e um mil e quinhentos e doze reais) mediante anulação de dotações orçamentarias distribuídos em diversos programas da administração.

Segundo o Projeto de Lei, o referido crédito suplementar visa à cobertura de despesas com pessoal, encargos sociais e outras despesas correntes.

Após a leitura do referido projeto, os vereadores de oposição não concordaram com o pedido de apreciação com urgência e dispararam críticas com relação à atitude do executivo causando polêmica.

O vereador Fernando Yotsuya avaliou como absurdo o pedido de urgência na apreciação do projeto e solicitou através de requerimento (aprovado por seis a quatro), prazo maior para analisa-lo. “É um projeto que iremos tirar verbas de áreas fundamentais do município, uma vez que soubemos através de via não oficial que esse recurso irá ser destinado ao pagamento de folha da educação. Só que na votação do Projeto de Lei do orçamento para 2016 nós autorizamos uma suplementação de 40%, que corresponde a R$ 13.000.000,00 (treze milhões de reais), por isso precisamos entender o motivo do envio desse projeto para a câmara, inclusive cortando verba de áreas que serão extremamente prejudicadas, como por exemplo: Programa de Abastecimento de Água Para Comunidades Carentes, Manutenção do Programa Saúde da Família, no valor de R$ 236.000,00 (duzentos e trinta e seis mil reais), existem reclamações da falta de atendimento dessas áreas, por isso eu acho que devemos analisar com paciência para não correr o risco de prejudicar o município”, explicou Fernando.

Para o líder da bancada do governo na câmara vereador Jeolândio Coelho, não é novidade o que ele nomeou de “projeto feio”. Segundo o vereador governista, tudo isso é por falta de planejamento e organização, no entanto, votando contra a aprovação do projeto ele estaria prejudicando os funcionários da educação. “Tem coisa que eu não gosto nem de falar mas... isso é desorganização, não é novidade, eu sei que compromete o orçamento de várias áreas como saúde, assistência social... não era pra mim dizer isso, só que é falta de organização e planejamento. Se fossem certas pessoas as prejudicadas com isso eu seria a favor de nem aprovar, mas como a maioria dos prejudicados serão os funcionários da educação, não podemos deixa-los de mãos atadas”, disparou Jeolândio.

Por: Lourinaldo Teixeira - DORMENTES EM REDE





0 comentários:

Postar um comentário