sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Professora Nila emite "Nota de Esclarecimento" referente ao polêmico caso do veículo parado em frente a Creche na última quarta-feira (08)


Em referência ao polêmico e repercutido caso do veículo parado em frente à Casa da Criança Santa Maria em Dormentes no último dia 08, Professora Nila, educadora daquela instituição de ensino infantil, que acompanhou toda a movimentação naquela tarde, nos enviou uma “Nota de Esclarecimento” relatando o que presenciou e os motivos que a fizeram suspeitar de que poderia haver algo errado.

Acompanhe a nota:

Eu, GIVANNILDE DE SOUSA GRANJA REIS, conhecida por “Nila”, sou educadora, há 27 anos exercendo esta atividade laboral de ofertar conhecimento. Há 01 ano exerço minhas atribuições como educadora junto a Creche Municipal Casa da Criança Santa Maria, sito à Rua José Francisco Rodrigues, s/n, bairro Olímpio José Rodrigues, Dormentes PE, além disto, sou cidadã dormentense.

Inicialmente quero esclarecer que como educadora, sou detentora de obrigações, primordialmente, tenho o dever de resguardar a integridade física, psicológica e moral de cada aluno do meu ambiente laborativo, tendo em vista que todos são menores impúberes (crianças de 3 a 5 anos).

Neste contexto, no dia 08/11/2017, por volta das 16 h 30 min presenciei algo atípico para a realidade Dormentense, um veículo de cor preto com o vidro do lado do condutor semiaberto e com três ocupantes (03) até então desconhecidos por esta educadora e por outros servidores públicos da creche, que ali se encontravam, parado em frente à creche em que exerço minhas atribuições, àqueles passaram algum tempo e em nenhum momento se pronunciaram, coincidentemente ou não, quando fui realizar uma ligação à mãe de um aluno que estaria aguardando a sua genitora, o condutor deslocou o veículo e foi fechando o vidro da porta do motorista e se dirigindo a local incerto e não sabido por todos que ali se encontravam.

Pasmem, logo em seguida chegou uma terceira pessoa informando que os ocupantes do carro em destaque teriam perguntado a localização da creche, demonstrando assim que eram pessoas de outra região.

No entanto, tenho plena consciência que o que fiz foi correto, pois em primeiro lugar usei a cautela preventiva, pois em situações semelhantes àquela, deve – se usar os meios oportunos para informar aos pais o que estaria ocorrendo. É importante salientar, que em nenhum momento foi demonstrado ou explicitado por esta educadora que pessoas estariam com o intuito de subtrair crianças da creche, apenas foi informado que os pais deveriam ter cuidado com seus filhos durante a entrada e saída na rede de ensino infantil, tanto, público, quanto, privado.

Destarte, que em nenhum momento direcionei nomes e nem mesmo atingir a honra daqueles ocupantes do veículo de cor preta, ou seja, fiz o que era necessário para aquela situação com reflexo de atitude suspeita”.

GIVANNILDE DE SOUSA GRANJA REIS - Professora

0 comentários:

Postar um comentário